COMO ADAPTAR ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO EM CASA NOVA

Publicado em: Geral
data 15.02.2014

Quando um animal precisa mudar de local, todas as suas referências se anulam, ou seja, seu cheiro, seu território, os ruídos ao redor e o animal deve ser reeducado para poder enfim se sentir em casa. No caso dos cães, o animal deve compreender que o dono da casa é o chefe da matilha, devendo então seguir as suas ordens, porém, no caso dos gatos, há um pouco de dificuldade neste sentido, já que normalmente o gato acaba dominando o território e fazendo o que quer devido a má educação que os donos permitiram que ele tivesse, sendo assim, educar o gato em um novo lar é mais trabalhoso.

COMO ADAPTAR ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO EM CASA NOVA

Educando o Animal

O carinho no momento da adaptação é ideal para que o animal se sinta seguro, porém, mimar o animal e permitir que o mesmo não seja independente pode ser prejudicial, tornando o animal até mesmo muito inseguro, sendo assim, reserve algumas horas do dia para o carinho intenso e dê continuidade aos mesmos hábitos que possuía na casa anterior.

Manter os objetos do animal próximo a locais que eram na casa anterior como caixa de areia próxima do banheiro ou ainda a cama do pet junto ao sofá poderá fazer com que o animal tenha uma adaptação mais fácil, mas não quer dizer que será mais rápida, sendo assim, garanta que o pet está de acordo com seus objetos nos locais determinados, observando se está conseguindo encontrar facilmente e identificar os locais dentro de casa.

Consultar um veterinário pouco antes da mudança pode ser essencial para os cuidados com a adaptação do animal, já que o profissional dará dicas importantes sobre o comportamento deste animal em uma nova casa, e se caso já tenha se mudado, garanta que estas dúvidas sejam sanadas pelo veterinário que já conhece a personalidade do seu pet, como no caso dos gatos, que há os dóceis, os ariscos e os preguiçosos ou ainda os medrosos, assim como os cães podem apresentar algumas características como um cão mais agressivo, mais dócil, mais agitado ou ainda o preguiçoso. Estas características nem sempre são percebidas, principalmente se o pet já possui o hábito de ir ao veterinário, sendo esta atividade corriqueira sabendo até mesmo se comportar durante a consulta.

O animal poderá ter dificuldades com o novo tratador também, e informe ao novo veterinário que o animal poderá estranhar o local, já que a mudança ocorreu recentemente, garantindo que nem o veterinário e nem o pet sofram com as precipitações caninas e felinas.

Leia o post anterior:
COMO SE TORNAR UM SOCIO TORCEDOR
COMO SE TORNAR UM SÓCIO TORCEDOR?

COMO SE TORNAR UM SÓCIO TORCEDOR? - Brasileiro é apaixonado por futebol e a maioria tem um time de coração,...

Fechar